OESPORTE

O Conteúdo certo

Comunidade esportiva conhece nova proposta para os JAPS

Apresentar a nova proposta para os Jogos Abertos do Paraná (JAPS). Com esse intuito, a Supervisão de Esportes de Rendimento do Instituto Paranaense de Ciência do Esporte (IPCE) reuniu representantes da comunidade esportiva para apresentar a nova proposta para a competição.
O encontro aconteceu no anfiteatro do Centro de Eventos Ismael Sperafico, em Toledo, cidade que sedia, desde a sexta-feira (11-10), os 62º JAPS.
O coordenador técnico Richarde Salvador explanou aos presentes o novo formato discutido para o quadriênio 2020-2023. A intenção é realizar competições com as equipes que integram os 12 polos esportivos do Paraná. Serão doze regionais como já acontece atualmente nas classificatórias para o JAPS Divisão B. Os primeiros colocados nesta fase participam de uma das quatro macrorregionais da segunda fase. Nestas macros competem os 3 campeões regionais, mais o município sede, classificando os dois melhores para a fase final.
Na última etapa somam-se o município sede e os três campeões do ano anterior totalizando 12 equipes nas disputas. Outra novidade será a realização de jogos apenas em fins de semana, como já acontece nas regionais do JAPS B. Outros pontos do regulamento, mais burocráticos como prazos de vinculação de atletas, também foram colocados para apreciação.
“Temos alguns gargalos. Dificuldades, principalmente em municípios menores, de reunir atletas e formar equipes para disputarem os JAPS”, comentou o supervisor de Esportes de Rendimento do IPCE Emerson Venturini (Milico). Segundo o gestor, as cidades não conseguem mais manter os atletas fora de seus domicílios durante uma semana, pois a maioria não é profissional do esporte. “Muitos atletas não participam mais devido às dificuldades em se ausentarem do trabalho e de suas rotinas para representar suas cidades nos JAPS”. Outro problema enfrentado pelas sedes e que acaba refletindo na organização dos Jogos é a questão de alojamentos. “As instituições educacionais precisam cumprir o calendário letivo e elas são nossos alojamentos. Isso gera um transtorno muito grande que corrobora para que os jogos se concentrem nos fins de semana, conforme a proposta apresentada”, disse.
Milico ainda lembrou que algumas modalidades disputadas dentro dos JAPS, com tempo de duração menor, casos como o judô, karatê, taekwondo tem apresentado crescimento, resultando em uma nova competição, o JAPS Combate. “Esses esportes crescem ao ponto de já demandar uma competição paralela, autônoma”, afirmou. Em 2020 será o primeiro ano dos Jogos de Combate e Londrina sediará a competição.
A proposta agradou alguns dirigentes, como o secretário de Esportes e Lazer de Toledo, André Alcará. Segundo o gestor municipal, o IPCE, em reunião com representantes dos municípios do polo esportivo 11, que compreende a região oeste, já havia discutido algumas situações em relação aos JAPS. Para Alcará, a principal vantagem para alguns municípios, caso de Toledo, é a realização das etapas nos fins de semana. “Nossos atletas são todos amadores e tem sua vida profissional. A mudança, nesta situação, é benéfica porque permite mais desportistas estarem à disposição das equipes. Acreditamos que as mudanças vão fortalecer a competição e vamos aguardar a decisão final”, comentou.
Para o assessor de Eventos Esportivos da Fundação de Esportes de Londrina (FEL), Sandro Henrique Moreira Santos, o anúncio pegou de surpresa os dirigentes londrinenses, pois os JAPS vêm em um momento de crescimento.  “Temos percebido o aumento número de atletas, dirigentes e municípios. É uma possibilidade que precisa ser analisada. Tem vários pontos que foram levantados em relação à participação das cidades. Num primeiro momento analisamos que haverá um aumento significativo nos custos da cidade, esse é um entendimento que tivemos ao conversar com municípios maiores como Cascavel, Maringá, Foz do Iguaçu”.
Sandro ressaltou entender a medida que pode beneficiar os municípios menores, porém para os maiores representará um aumento de despesas. “Elevará nossas despesas num momento onde a meta é baixar, pois aumentaremos a participação em regionais, macros, pois com a nova proposta apenas os três primeiros colocados já garantem vaga na fase final, no caso a Divisão A, no próximo ano”. Apesar de entender que a medida tem o intuito de melhorar ainda mais os Jogos, a ideia precisa ser amadurecida. “Ainda teremos mais reuniões nas regionais para conversarmos e tenho certeza chegaremos a uma proposta que atenda a todo mundo e mantenha esse crescimento dos JAPS”.
Sandro destacou ainda que o IPCE está no caminho certo ao abrir essa discussão com os municípios. “É importante para mantermos os avanços em todos os jogos oficiais e ampliar sempre o número de participantes”, concluiu.
Acompanhe também a fanpage dos Jogos Abertos do Paraná no www.facebook.com/jogosabertospr
Os Jogos Abertos do Paraná Divisão A são realizados pelo Governo do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, com apoio da Prefeitura de Toledo.
 

Leave a Reply